Ela era feliz!




Era uma vez uma menina. Ela era feliz. Facilmente os seus olhos brilhavam. O sorriso encantava. Ela era feliz. Vestia leveza, passeava alegria e era feliz. As suas palavras eram doces, o seu abraço curava corações, e a sua bondade trazia mais vida ao mundo. Reparem, ela era feliz!
Por onde passava ninguém ficava indiferente. Seria a cor dos seus cabelos? A leveza dos seus passos, o brilho dos seus olhos? Ou simplesmente por que era feliz?
Ajudava quem lhe pedisse. Não recusava companhia. Gostava, até! Era conhecida de toda a gente. Novos e velhos. Com os novos brincava… ensinava e divertia. Com os velhos aprendia. Gostava de os ouvir, atentamente. Não como quem ouve por obrigação, mas sim como quem escuta, saboreia o que é dito e é feliz por fazê-lo. Ela era feliz. Ela confessava educadamente, gosto mais dos velhos… Gosto de lhes dar valor quando o mundo lhes diz que já não servem para nada.
Ela sorria sempre. Sempre sempre sempre. Para quem quer que fosse, ela sorria. E quando lhe sorriam de volta, ela era feliz!
Era uma boa menina. A serio que era. Atentava em tudo que merecia atenção. Até ao que não merecia, diga-se. Mas ela era feliz.
Não se preocupava. Nada a entristecia. Nada a chateava. Afinal, ela era feliz. Era calma, era fácil. Não incomodava nem nada… tudo era mais simples com ela. Tinha também esse dom. Facilitava, resolvia. Mas tudo muito calmamente. Não discutia. Não se exaltava. A sua voz era sempre como uma melodia. E ela era feliz.
A vida podia não correr bem. Podia até estar a chover e molhar-lhe os pés. Mas ela não deixava de ser feliz. Nem sempre sonhava. Às vezes nem dormia. Mas era feliz!
A menina tinha uma pele muito bonita. Uma cor encantadora. E a sua pele protegia-a. Sim… é verdade que toda a pele é feita para proteger. A pele protege-nos de sentir o frio tal qual como ele é. Protege-nos igualmente do calor. Protege-nos até de pequenas pancadinhas. A pele só deixa passar aquilo que somos capazes de suportar. É óptimo não é? Eu também acho. Mas existe uma zona, assim no centro do peito, em que a pele se torna muuuuuuuuuuuuuito fininha. Mas mesmo muito fininha. Tão fininha que quase é transparente. Já imaginaram o perigo? Qualquer coisa dirigida a essa zona passa com muita facilidade. E faz doer! Ah, se faz.
Entendem agora?
A menina tinha um sorriso lindo, um brilho no olhar encantador. A menina tinha um andar dançante. A menina tinha um cabelo de uma cor que parecia mel. E a menina era mesmo feliz!!

Quem havia de se lembrar daquela zona tão desprotegida?
  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • Twitter
  • RSS

4 Response to "Ela era feliz!"

  1. as velas ardem ate ao fim says:
    30 de dezembro de 2009 às 21:48

    Lembra te:

    Para você ganhar belíssimo Ano Novo
    cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
    Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
    (mal vivido talvez ou sem sentido)
    para você ganhar um ano
    não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
    mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
    novo
    até no coração das coisas menos percebidas
    (a começar pelo seu interior)
    novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
    mas com ele se come, se passeia,
    se ama, se compreende, se trabalha,
    você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
    não precisa expedir nem receber mensagens
    (planta recebe mensagens?
    passa telegramas?)


    Não precisa
    fazer lista de boas intenções
    para arquivá-las na gaveta.
    Não precisa chorar arrependido
    pelas besteiras consumidas
    nem parvamente acreditar
    que por decreto de esperança
    a partir de janeiro as coisas mudem
    e seja tudo claridade, recompensa,
    justiça entre os homens e as nações,
    liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
    direitos respeitados, começando
    pelo direito augusto de viver.


    Para ganhar um Ano Novo
    que mereça este nome,
    você, meu caro, tem de merecê-lo,
    tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
    mas tente, experimente, consciente.
    É dentro de você que o Ano Novo
    cochila e espera desde sempre.
    [Carlos Drummond de Andrade]

    Bjos Bom Ano!

  2. Enquanto dormes says:
    1 de janeiro de 2010 às 18:31

    Não percebi...

    beijinho, bom ano!

  3. Jane says:
    20 de janeiro de 2010 às 21:08

    A menina era, é e vai ser feliz =)

  4. Palavras que falam por mim says:
    1 de fevereiro de 2010 às 18:54

    Primeiramente parabéns pelo blog, é de ótima qualidade! E por este motivo venho fazer o seguinte convite:

    O Blog “Palavras que falam por mim” foi criado para você que adora exprimir seus sentimentos em palavras, sejam elas suas ou não. E que, além disso, adora compartilhar-las. Então, quer expressar seus sentimentos, gostos, opiniões (e etc) e através deles divulgar seu blog?
    Para participar basta enviar as “Palavras Que Falam” por você (e até mesmo a imagem que deseja ser postada. É opcional.) juntamente com o link do teu blog para: palavrasquefalampormim@gmail.com, e estarei publicando e divulgando teu blog.

    Já tive outros blogs nos quais deixei durante muito tempo as palavras falarem por mim, mas agora gostaria de ter o prazer de lê-los e com isso fazer com que mais e mais pessoas os leiam.

    No dia 1º de Março estarei colocando em votação os Blogs que mais participarem. O ganhador terá um Menu no blog durante 30 dias para divulgação do mesmo.
    Vale resaltar que os blogs já estarão sendo divulgados durante as postagens.

    Sugestões serão bem vindas.

    Aguardo suas palavras!

    Forte abraço!

    Ҝค ღ

Copyright 2009 Encontra-me...
Free WordPress Themes designed by EZwpthemes
Converted by Theme Craft
Powered by Blogger Templates